Novas tatuagens de alta tecnologia: seriam um sinal da marca da besta?

Alguns cristãos estão preocupados que o sensor vestível esteja um passo mais perto das profecias bíblicas

Por Redação Unigrejas 21/10/2020 - 10:08 hs
Foto: Reprodução ACS Publications

O site cristão internacional Christian Headlines divulgou que engenheiros da Penn State University desenvolveram uma tatuagem temporária que tem o objetivo de monitorar o coração, os níveis de oxigênio no sangue e a temperatura corporal.

De acordo com a revista ACS Applied Materials and Interfaces , o sensor vestível é aplicado diretamente na pele humana.

Circuitos e sensores vestíveis precisam de calor de cerca de 572 graus para se unir, mas os engenheiros da Penn State encontraram outra maneira de as “tatuagens” funcionarem.

"A superfície da pele não pode resistir a uma temperatura tão alta, obviamente", disse o pesquisador principal Hanyu "Larry" Cheng. "Para contornar essa limitação, propusemos uma camada auxiliar de sinterização - algo que não machucaria a pele e poderia ajudar a sinterização do material em uma temperatura mais baixa."

 O sensor também pode ser removido e reutilizado, disse ele.

 "Pode ser reciclado, pois a remoção não danifica o  dispositivo", disse Cheng. "E, o mais importante, a remoção também não danifica a pele. Isso é especialmente importante para pessoas com pele sensível, como idosos e bebês. O dispositivo pode ser útil sem ser um fardo extra para quem o usa ou para o meio ambiente. "

Os críticos do tipo de tecnologia do sensor dizem que a invenção pode ser usada para rastreamento e pode ser uma invasão de privacidade.

Já a CBN News também informou que alguns cristãos estão preocupados que o sensor vestível esteja um passo mais perto da marca da besta, que a Bíblia descreve como um sinal que identifica aqueles que apóiam o anti-Cristo.

“Também obrigava todas as pessoas, grandes e pequenas, ricas e pobres, livres e escravas, a receber uma marca na mão direita ou na testa, de modo que não podiam comprar ou vender a menos que tivessem a marca, que é o nome da besta ou o número de seu nome ”, diz Apocalipse 13: 16-17 .

O apóstolo João, no livro de Apocalipse, (capítulo 13, do versículo 16 ao 18), menciona a profecia de que no Fim dos Tempos se levantará o anticristo que irá impor a todo ser humano a sua marca, descrita como a marca da besta. Aquele, porém, que se recusar a recebê-la, não poderá comprar ou vender nada. Ou seja, a pessoa não terá acesso à sociedade, terá que sobreviver no submundo e será perseguido até a morte.

O anticristo se estabelecerá como um líder econômico mundial. Assim, ele implantará um sistema de compra e venda entre as pessoas por meio de uma marca, conhecida pelo número 666, que será implantada na mão direita ou na testa.

O número ‘666’ simboliza o ápice de suas mentiras: a trindade satânica. Ou seja, o dragão, a besta do mar e a besta da terra. O número ‘666’ procura imitar a Santíssima Trindade. 

A marca de Deus

Assim como o Senhor Jesus deseja separar aqueles que O servem com o “selo do Espírito Santo”, o anticristo deseja separar os seus com a “marca da besta”.

Daí a importância de ser batizado com o Espírito Santo, pois uma vez tendo a marca de Deus dentro de si, não terá motivo de se preocupar com a marca da besta. Afinal, quando ela for implantada, você já terá sido salvo, uma vez que o surgimento do anticristo ocorrerá somente após o arrebatamento da igreja do Senhor Jesus.

Se você deseja entender mais sobre o que está por vir, leia o livro A Terra vai pegar fogo, do bispo Renato Cardoso. Clique aqui e adquira o seu exemplar.