Juízes Marcelo e Simone Bretas visitam o Templo de Salomão

Bispo Eduardo Bravo ressaltou que o Altar do holocausto era considerado um lugar de perdão

Por Redação Unigrejas 19/10/2020 - 10:10 hs

No dia 11 de outubro, o meritíssimo Juiz Marcelo Bretas, acompanhado da esposa, a meritíssima Juíza Simone Bretas, realizou uma visita, conduzida pelo Bispo Eduardo Bravo, responsável pelas Relações Institucionais da Universal e Presidente da Unigrejas- União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos -, neste espaço singular, localizado na capital paulista.

Durante o tour, o Bispo Eduardo explicou ao casal que, durante a peregrinação dos hebreus no deserto, um novo Altar foi construído, sob as ordens Divinas, para estar no meio do povo. Era uma estrutura quadrada, feita de madeira de acácia e revestida de bronze, com chifres em cada canto, estes representando a Justiça e o Poder de Deus. Ali também as pessoas iam para julgar suas causas, que servia para sacrificar os animais em prol da expiação dos pecados. 


O Bispo ressaltou que o Altar do holocausto era considerado um lugar de perdão. Nas suas quatro extremidades haviam chifres, a fim de que a pessoa que quisesse ser perdoada de algum delito se agarrasse neles (2.28; Êx 21.13). E foi isso que um dos filhos de Davi fez, como podemos ler na passagem bíblica abaixo:

"Porém Adonias temeu a Salomão; e levantou-se, e foi, e apegou-se às pontas do altar. E fez-se saber a Salomão, dizendo: Eis que Adonias teme ao rei Salomão; porque eis que apegou-se às pontas do altar, dizendo: Jure-me hoje o rei Salomão que não matará o seu servo à espada. E disse Salomão: Se for homem de bem, nem um de seus cabelos cairá em terra; se, porém, se achar nele maldade, morrerá. E mandou o rei Salomão, e o fizeram descer do altar; e veio, e prostrou-se perante o rei Salomão, e Salomão lhe disse: Vai para tua casa." 1 Reis 1:50-53

Na Bíblia fiel comentada, o Bispo Edir Macedo ressalta que "essa atitude expressava o desejo por compaixão. Assim, a atitude de Adonias visava proteger a própria vida, pois ele havia traído o rei. Isso significa que o Altar representa sacrifício e entrega de vida ao Altíssimo. Quando há sinceridade, a pessoa recebe misericórdia, força e oportunidade de recomeço", comentou. 


Posteriormente, as autoridades também foram recebidas pelo Bispo Renato Cardoso, que concedeu a eles um exemplar da Bíblia com anotações de fé do Bispo Edir Macedo.

Experiência no campo jurídico


O casal de magistrados possui uma ampla carreira no campo jurídico. Eles se conheceram na Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ), nos tempos de estudos. Em meados de 2015, o Juiz Bretas atuou nos desmembramentos das investigações da Operação Lava Jato.

Túnel do tempo


Visitar o Jardim Bíblico, localizado na área externa do Templo de Salomão, é como fazer uma viagem no tempo e reviver a cultura do Antigo Testamento. Com trajes característicos, um sacerdote realiza o percurso temático explicando o significado de ritos e símbolos sagrados.

Entretanto, além de ser uma belíssima edificação, o Templo de Salomão traz consigo um valor ainda maior: resgatar, nos dias atuais, o temor e a reverência a Deus.

Jardim Bíblico

Para visitar o Jardim bíblico, do Templo de Salomão, você pode entrar em contato por meio do WhatsApp (11) 3573-3641 (das 8h30 às 19h30) ou pelo e-mail passeio@jardimbiblico.com.