Ex-governador do Rio foi condenado pela 15ª vez por corrupção

Um dos crimes que o ex-governador confessou recentemente foi o pagamento de propina ao grupo Globo

Por Universal.org 05/10/2020 - 18:21 hs

No último dia 25, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi condenado pela 15ª vez por crimes que envolvem corrupção e formação de quadrilha, atividades realizadas enquanto governava o Rio, entre 2007 e 2014. A condenação dessa vez é pela lavagem de cerca de R$ 3 milhões.

Como punição, Cabral foi condenado a mais 8 anos e 7 meses de prisão. E, com essa pena, alcança a marca de 302 anos, 10 meses e 3 dias de condenação. Apenas o traficante Marco Camacho, o Marcola, tem pena maior do que o Cabral, com acumulados 330 anos de detenção.

Quais são os crimes?

Nos últimos anos, Sérgio Cabral confessou diversos crimes diferentes, pelos quais está sendo condenado em inúmeros processos. Entre esses crimes estão formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva.

Um dos crimes que o ex-governador confessou recentemente foi o pagamento de propina ao grupo Globo para que o jornalismo da empresa não publicasse as denúncias contra Cabral. As informações foram publicadas pelo jornalista Augusto Nunes, em abril.

De acordo com o testemunho de Cabral, ele pagou – com dinheiro público – R$ 80 milhões em contratos sem licitação pelo silêncio do conglomerado carioca.

“Segundo o ex-governador, o silêncio da rede Globo custou pelo menos R$ 80 milhões, valor do acerto sem licitação que contemplou a Fundação Roberto Marinho com a gerência de estudos, projetos e desenvolvimento de conteúdo para a implantação de um vistoso equipamento cultural na cidade do Rio. Ainda de acordo com Cabral, uma licitação fraudulenta permitiu a fundação indicar a construtora responsável pela obra”, revela Nunes.

Ou seja: a Rede Globo conhecia os escândalos de corrupção da quadrilha liderada por Sérgio Cabral. Mas seus jornalistas esconderam as informações para que a empresa obtivesse vantagens ilegais e recebesse dinheiro do contribuinte irregularmente.

Há poucos dias, o Jornal da Record também noticiou que a família Marinho utilizou relações de corrupção para adquirir os direitos das Olimpíadas 2016. Clique aqui e entenda como isso aconteceu.