Igrejas podem funcionar com capacidade de até 40% em vários municípios de São Paulo

Unigrejas orienta quais critérios devem ser observados

Por Redação Unigrejas 14/07/2020 - 11:05 hs

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira, 10, o maior afrouxamento à quarentena no Estado desde maio, quando o programa de retomada econômica em meio à pandemia do novo coronavírus, o Plano São Paulo, foi anunciado.

Apenas as regiões de Araçatuba, Campinas, Franca e Ribeirão Preto permanecem com o grau de restrição máxima, em que só o comércio essencial é autorizado a funcionar.

Todo o restante do Estado poderá liberar o funcionamento de lojas de rua e shoppings, além de imobiliárias, concessionárias e escritórios, a partir da próxima segunda-feira, dia 13.

 Além de Guarulhos, todas as cidades do Alto Tietê passaram para a fase amarela do Plano SP, na qual já estão enquadradas a Capital e as cidades do ABC.

Setores liberados:

Na fase amarela, fica permitido o atendimento presencial restrito em bares, hotéis, restaurantes, salões de beleza e barbearias e templos religiosos de acordo com os protocolos de cada área. O Plano SP também prevê abertura limitada a 40% da capacidade de todos os setores previstos na laranja e seis horas de expediente, em vez de quatro.

Na cidade de São Paulo

O prefeito da capital paulista, Bruno Covas, e os parlamentares evangélicos acordaram a lotação das igrejas em até 40% e o retorno das classes bíblicas infantis, guardando o protocolo de distanciamento e higiene.

Para a liberação, foi levado em consideração que com a abertura parcial das igrejas não houve nenhum surto/aumento do número de casos de contaminação com a COVID-19.

O termo de compromisso firmado entre os vereadores da Frente Cristã da Câmara Municipal de São Paulo e a prefeitura pede que alguns critérios sejam observados para o funcionamento de igrejas, templos religiosos e afins.


A Unigrejas recomenda que todos os líderes evangélicos se atentem aos critérios abaixo para que os templos permaneçam abertos e em funcionamento:

– A lotação máxima deverá ser 40% (quarenta por cento) da capacidade do templo

ou igreja;

- A reabertura dos setores adjacentes dos templos ou igreja, tais como: cantina, kids, ministérios específicos, ministérios de jovens, estudos bíblicos e setores congêneres;

– Assegurar que todas as pessoas, ao adentrarem ao templo ou igreja, estejam

utilizando máscara e higienizem as mãos com álcool gel 70% ou preparações

antissépticas ou sanitizantes de efeito similar;

– Incentivar a realização da medição de temperatura no momento do ingresso ao

Templo ou Igreja, sendo que deve ser orientado a não ingressar nos casos que

apresentar febre (temperatura ≥ 37,8°C)

– Orientar as pessoas que apresentarem tosse persistente, falta de ar, desconforto respiratório e gripe/resfriado, a não ingressarem no Templo ou Igreja;

– Recomendar aos fiéis pertencentes ao grupo de risco, tais como pessoas com idade acima de 60 (sessenta) anos, hipertensos, diabéticos, gestantes e imunodeprimidos, de não participarem dos missas ou cultos. Orientando-os para – na medida do possível – permanecer em casa.