Nuvem de areia vinda do Saara ocupa o Oceano Atlântico

Todo ano ocorre este fenômeno, mas, desta vez, o acontecimento impressionou especialistas e chamou a atenção da mídia geral, por causa do seu tamanho. Confira

Por Universal.org 26/06/2020 - 11:03 hs
Foto: Reprodução Nasa

Ao horizonte, só é possível avistar uma espessa camada acinzentada de nuvem, onde as construções dos centros urbanos se escondem. No mapa em tempo real, uma mancha gigantesca ocupa a região do Oceano Atlântico. Trata-se da nuvem de poeira “Godzilla”.

Tradicionalmente, todo ano ocorre este fenômeno, mas, desta vez, o acontecimento impressionou especialistas e chamou a atenção da mídia geral, por causa do seu tamanho: o maior dos últimos 50 anos. Daí, o apelido Godzilla.

Como isso acontece?

A formação da nuvem ocorre da seguinte maneira: no deserto, os dias são quentes e as noites são frias. Isso faz com que haja formação de áreas com baixa pressão de ar. Como consequência, o ar sobe. Conforme o ar sobe, ele carrega a areia consigo. A partir disso, a circulação dos ventos transporta esse material para longe. No mais recente registro, a poeira saiu do norte da África e chegou, nesta semana, ao México, ao Caribe e aos Estados Unidos. No Brasil, mais especificamente na região do estado do Maranhão, especialistas explicam que a cor do céu pode mudar, caso o fenômeno chegue por aqui também, entretanto, ainda não há indícios de que isso aconteça por agora. Para a saúde, há a preocupação com relação aos problemas respiratórios. Pois o ar fica muito seco.

Caminhamos para o fim do mundo, segundo a Bíblia?

Este ano, com certeza, foi atípico – com muitos acontecimentos anormais. Quando recorremos ao Texto Sagrado, vemos que não somente a humanidade sofreu com o surgimento do pecado (iniciado no Jardim do Éden), mas também toda a natureza, o restante da criação de Deus.

Sobre o tema, o apóstolo Paulo escreve: “Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.” Romanos 8:22-23

É interessante a comparação com as “dores de parto”, algo também observado pelo Senhor Jesus (Mateus 24:8). Pois, as dores de parto natural são cada vez mais intensas e constantes conforme o nascimento da criança se aproxima. Assim, é possível concluir que, conforme a humanidade se aproxima do fim dos tempos, eventos extraordinários são cada vez mais percebidos.