A chegada da Assembleia de Deus no Brasil

Conheça o início desta importante igreja pentecostal, com milhões de fiéis

Por Redação 29/06/2020 - 14:04 hs
Foto: Reprodução da internet

Fundada em Belém, capital do estado do Pará, pelos missionários pentecostais suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, em poucas décadas, a Assembleia de Deus se expandiu por todos os estados do Brasil, tornando-se uma das principais igrejas pentecostais do país, com milhões de adeptos.


Nesse primeiro semestre de 2020, a Igreja completou 109 anos pregando o Evangelho a todos os povos com uma programação toda especial. Para relembrar um pouco da sua história, o portal da Convenção da Assembleia de Deus no Brasil publicou um vídeo com um compacto da chegada da Igreja ao Brasil, que você pode assistir logo abaixo.


Segundo menciona o documentário, tudo começou no dia 5 de novembro de 1910, quando os missionários, a bordo do navio Clement, deixaram a cidade de Nova York (EUA) com destino à cidade de Belém, no Pará.


“A missão dos pioneiros iniciou-se ainda naquele navio, junto a tripulantes e passageiros, Nesse período, eles distribuíram folhetos, evangelhos e tiveram o privilégio de ver um dos tripulantes aceitar a Cristo. Era o primeiro fruto de sua missão”, menciona o narrador.

No dia 19 de novembro de 1910 eles aportaram em Belém “debaixo de um sol escaldante... Estavam, enfim, pisando em solo brasileiro, cada um, então, pegou a sua própria mala, olharam ao redor e decidiram acompanhar as pessoas que subiam em direção à cidade, confiando que Deus ia guiá-los.”

Uma nova igreja

A princípio, frequentaram a Igreja Batista, denominação a que ambos pertenciam nos Estados Unidos. A nova doutrina trouxe divergência. Enquanto um grupo aderiu, outro rejeitou. Assim, em duas assembleias distintas, conforme relatam as atas das sessões, os adeptos do pentecostalismo foram desligados e, em 18 de junho de 1911, juntamente com os missionários estrangeiros, fundaram uma nova igreja e adotaram o nome de Missão de Fé Apostólica, que já era empregado pelo movimento de Los Angeles, mas sem qualquer vínculo administrativo com William Joseph Seymour. A partir de então, passaram a reunir-se na casa de Celina de Albuquerque. Mais tarde, em 18 de janeiro de 1918 a nova igreja, por sugestão de Gunnar Vingren, passou a chamar-se Assembleia de Deus.

Tendo origem no movimento pentecostal do início do século XX na América, as Assembleias de Deus do Brasil, cresceram nos moldes da igreja do Novo Testamento, onde os discípulos cheios do Espírito Santo levaram o Evangelho a todo o mundo. Não muito tempo depois as Assembleias de Deus chegaram aos grandes centros urbanos das regiões Sul e Sudeste, como Porto Alegre, São Paulo e Belo Horizonte.

Em 1922 chegou ao Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, PA, em 1924, para a então capital da República. Desde 1930, quando se realizou a primeira Convenção Geral dos pastores na cidade de Natal, RN, as Assembleias de Deus no Brasil passaram a ter autonomia interna, sendo administrada exclusivamente pelos pastores residentes no Brasil, sem, contudo perder os vínculos fraternais com a igreja na Suécia.

A partir de 1936 a igreja passou a ter maior colaboração das Assembleias de Deus dos EUA através dos missionários enviados ao país, os quais se envolveram de forma mais direta com a estruturação teológica da denominação. 

Em virtude de seu fenomenal crescimento, principalmente depois dos anos 90 com a criação e ação da chamada Década da Colheita, iniciativa das Assembleias de Deus, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro.

Brasil, um país pentecostal

De repente, as autoridades religiosas e seculares despertaram para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante. Tal possibilidade se tornou ainda mais real com a divulgação entre o final de 2006 e início de 2007 por um instituto de pesquisa de que, com vinte milhões de fiéis, o Brasil é o maior país pentecostal do mundo.

Atualmente os mesmos institutos de pesquisa apontam para uma mudança no perfil evangélico brasileiro em todos os setores da sociedade por conta da ação do Evangelho. As Assembleias de Deus estão hoje em todas as camadas da sociedade, inclusive com representantes na esfera política do Congresso Nacional.

Como agente de mudança não somente espiritual, vê-se a igreja agindo em grande escala em trabalhos sociais de grande envergadura e empenhada a mudar a face do nosso país a partir do Evangelho de Jesus Cristo, tendo templos em quase todas as cidades brasileiras.

As Assembleias de Deus chegam passam de cem anos como uma igreja forte, crescente e saudável, mantendo a pureza da doutrina pentecostal  e, desafiando os especialistas em crescimento de igreja, continua expandindo-se desta feita para além das fronteiras, realizando um extraordinário trabalho missionário, tendo obreiros em quase todos os países do globo.

Assista ao vídeo com o compacto da história da chegada da Igreja ao Brasil: 

Para mais informações, acesse o portal da Convenção da Assembleia de Deus no Brasil: http://portalcadb.com/historia-da-assembleia-de-deus/

                                                  Acompanhe a Unigrejas no Facebook