Proibido orar

Qualquer um que for encontrado orando em frente a clínicas de aborto será preso, na Inglaterra. Entenda

Por Redação 18/01/2023 - 09:29 hs
Foto: Freepik

Agora está proibido por lei realizar orações em frente a clínicas de aborto na Inglaterra. E qualquer pessoa que for encontrada orando nesses ambientes, pode pegar até seis meses de prisão, de acordo com projeto de lei aprovado pelo Parlamento do país.

 

O que você precisa saber:

Conforme informações da CBN News, membros do Parlamento apresentaram o projeto de lei para proteger mulheres contra assédios.

 

Contudo, a parlamentar Carla Lockhart disse que as pessoas que oram fora da clínica não estão assediando as mulheres, e o novo projeto de lei viola a liberdade de expressão.

 

“Não há evidências de assédio relacionada, de fato, como alguns nesta casa se referiram hoje. Portanto, eu consideraria que esta emenda não é necessária”, disse ela, na ocasião.

 

E acrescentou: “Isso arriscaria todas as consequências pretendidas para a liberdade de expressão, e seria ruim para as mulheres. Então, uma proibição geral é uma resposta desnecessária e desproporcional, especialmente quando a polícia pode proteger as mulheres por outros meios legais. A polícia já tem as ferramentas necessárias para proteger as mulheres.”

 

O que analisar:

Ainda de acordo com informações do portal Christian Headlines, uma mulher afirmou que desistiu do aborto, por causa de um voluntário pró-vida e alegou que o projeto de lei é uma ideia ruim. “Você sabe… nem toda mulher que entra nessas clínicas, realmente, quer passar pela interrupção. Há uma pressão imensa, talvez elas não tenham meios financeiros para sustentar a si mesmas ou ao bebê, ou sintam que não há alternativas. Essas pessoas oferecem alternativas.”

 

Outra deputada também demonstrou preocupação com o projeto de lei, que foi apoiado por 297 contra 110 membros do Parlamento Britânico.

 

“Quando se tornou contra a lei neste país orar?”, argumentou a deputada Fiona Bruce, que disse ainda que o projeto de lei poderia ser muito amplo, arriscando a prisão de ativistas pró-vida que oram silenciosamente perto da clínica.